terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

"Internet" - Não a deixe ao alcançe das crianças. Agite-a bem antes dos seus filhos a usarem.




O tema que hoje vos trago é um tema muito sensível e muito actual. Já devem ter escutado nas notícias que foi feita uma sondagem em Portugal, em que os resultados são no mínimo assustadores.

Os "nossos filhos" responderam que "nós os pais", não ligamos aos perigos que o uso da internet representam actualmente,e até dizem que muitos pais são completamente ignorantes sobre o assunto.

Nos dias que vivemos, as crianças são de tal forma "injectadas" com as novas tecnologias de informação e conseguem assimilar uma quantidade de informação que nos deixam a nós, os adultos que estamos atentos, envergonhados e embaraçados com os conhecimentos plásticos dos miúdos: - Aquilo a que costumo chamar de "Fast Knowlege".

Se estiverem atentos, seja na rua, no café, no autocarro, no metro ou no comboio, os miúdos de hoje, nascem com a capacidade de estarem a conversar com alguém fisicamente enquanto dedilham sem olhar, o seu telemóvel, enviando informação para outros intervenientes (às vezes são mais do que um interveniente a trocar os famosos sms), escrevendo uma forma de escrita muito própria e estranha (pelo menos para mim!) a uma velocidade estonteante; e ainda conseguem fazê-lo ouvindo a música do i-pod que nós pais lhes oferecemos pelo "Bom" que tiraram no teste.

Pais deste país: Atentem bem a quantidade de informação assimilada ao mesmo tempo, a perícia e a habilidade de manuseamento das novas tecnologias, o conhecimento mal estruturado e mal armazenado dentro dos seus cérebros, fruto da quantidade e da velocidade cognitiva. Mas o que nos pode "chocar", é que estes nossos meninos que todos agora sabemos "já nascem ensinados", são extremamente ingénuos. E são-no porque não têm tempo, no tempo que têm, para viver intensamente esta quantidade imensa de (des)informação com que são presenteados, ainda no útero materno.

Vamos todos ter muito cuidado! Vigiem os vossos filhos quando estes usarem a internet, falem com eles sobre o que viram, sobre o que falaram, sobre o que disseram. Não caiam no erro de pensar que não se devem intrometer na intimidade de uma criança que precisa do nosso acompanhamento. Exigam saber as passwords que os vossos filhos usam para acederem aos chat´s, às redes sociais, quem adicionam como amigos...

Cuidado: Do outro lado está uma criança de 50 anos que gosta muito do seu filho.

Não vamos facilitar, se eles estiverem na net agite-a bem, antes de usar.

Mar de Areia

Sem comentários:

Enviar um comentário

Loading...

Concorda com a lei das finanças Regionais?